Portal da Educação | http://educacao.jundiai.sp.gov.br

Educação e moradores da vila Ana definem matrículas para alunos do bairro

Publicada em 25/09/2018 às 17:27

Representantes da Unidade de Gestão de Educação (UGE) e moradores da vila Ana se reuniram na noite dessa segunda-feira (24) para tratar das matrículas de 19 crianças do bairro, para todos os cinco anos do Ensino Fundamental (do 1º ao 5º ano), na Emeb Flávio D’Angieri, também no Anhangabaú, com o fornecimento de transporte escolar e contraturno dos alunos em uma instituição de aprendizagem, já que muitos apresentaram como maior demanda a necessidade de manter os filhos na escola para que possam trabalhar. Dos nove pais ou responsáveis presentes, oito aceitaram a proposta e um não deu parecer. Para esse caso, assim como os dos demais dez ausentes, cada questão será verificada individualmente pelas equipes da UGE.

LEIA TAMBÉM
Mais onze escolas recebem os uniformes escolares nesta sexta (21)
Prefeitura e Consulado discutem ensino de italiano na rede municipal

O encontro, realizado na paróquia Santa Ana, foi promovido pois os pais e responsáveis tinham interesse em matricular no 1º ano do Ensino Fundamental em 2019 na Emeb Rotary Club, unidade, entretanto, que no próximo ano não abrirá vagas para o ano escolar pretendido, a fim de atender a demanda maior do bairro do Anhangabaú para o grupo G4 (quatro anos) da Educação Infantil.

Encontros
Para tratar desse assunto, a UGE realizou outros dois encontros com as pais ou responsáveis. Na primeira ocasião, a reunião foi feita em 03 de setembro na Emeb Rotary, e na segunda, em 18 de setembro, no Complexo Argos, esta última já com a participação dos vereadores que compuseram uma Comissão especial para tratar e acompanhar desse assunto. Desde o primeiro encontro, diversas foram as propostas feitas de ambas as partes, durante as reuniões e individualmente por telefone, para que se chegasse a um consenso.

Representantes da UGE e moradores da vila Ana se reuniram na noite dessa segunda-feira (24)

A gestora da UGE, Vasti Ferrari Marques, frisou a importância do diálogo transparente. “Quisemos desde o início expor a nossa preocupação em organizar a vida dos 35 mil alunos inscritos na rede municipal, pensando na setorização escolar para atender aos alunos de forma adequada às necessidades de cada etapa do ensino. A medida tem respaldo no fato de a Emeb Rotary ter perdido 52% dos estudantes na faixa etária de 6 anos, referente ao 1º ano do Ensino Fundamental, entre o período de 2017 e 2018. Ao todo, isso representa 63 matrículas efetivadas no ano de 2017, com redução deste número para 30 matrículas em 2018 e, por fim, 24 matrículas previstas para o ano de 2019.”

Vasti acrescenta que na região do Anhangabaú a demanda crescente é para as matrículas dos alunos de quatro e cinco anos de idade. “Como as Emebs Flávio D’Angieri e Antonio Messina são de Ensino Fundamental e a João Maria Gonzaga de Lacerda já está com todas as salas destinadas, o Rotary foi a opção mais cabível, tendo também em vista a proximidade geográfica para as crianças menores e que mais de 70% dos alunos ali matriculados não residem naquela região”.

A gestora da UGE também frisou o apontamento dos pais quanto ao atendimento em tempo integral. “A premissa da Educação em tempo integral é ampliar o repertório cultural das crianças, não de permitir que os pais possam trabalhar enquanto os filhos estudam, mas estamos considerando também a necessidade e angústia desses pais.”

Por fim, Vasti ressaltou o quanto os boatos surgidos ao longo das tratativas impediram a construção mais rápida de consenso. “Em momento algum a UGE falou sobre transferência de alunos já matriculados na EMEB Rotary, pois prezamos pela continuidade escolar, bem como a extinção do ensino dessa unidade em tempo integral ou sua transformação completa em unidade de Ensino Infantil. Os caminhos das escolas são traçados ano a ano e é o estudo do bairro que nos trará as respostas. No entanto, esses foram aspectos que surgiram e tivemos de pontuá-los, inclusive mais de uma vez, o que contribuiu tão somente para atrasar a solução para um problema que dizia respeito à vida de todos nós, principalmente das crianças.”

Compuseram a Comissão especial para tratar do assunto os vereadores Antonio Carlos Albino, Cristiano Lopes, Edicarlos Vieira, Faouaz Taha, Márcio Pentecostes, Rafael Antonucci e Valdeci Vilar.

Assessoria de Imprensa
Foto: Fotógrafos PMJ


Leia mais sobre


Link original: https://educacao.jundiai.sp.gov.br/2018/09/25/educacao-e-moradores-da-vila-ana-definem-matriculas-para-alunos-do-bairro/